Lu Ain-Zaila é Luciene M. Ernesto, de Nova Iguaçu, baixada do RJ. Formada em Pedagogia (UERJ).

Escritora afrofuturista, autopublicada, a primeira a lançar uma obra de ficção especulativa com uma heroína negra, a Ena da Duologia Brasil 2408, composta por (In)Verdades e(R)Evolução (2016-2017).

Depois lançou Sankofia (2018) uma coletânea de contos sobre as inúmeras possibilidades do gênero afrofuturista e para mostrar que outros protagonismos e visões são possíveis, como o conto – Ode à  Laudelina – sobre empregadas domésticas + ficção científica/terror social e outros.

Recentemente lançou Ìségún (2019, Coleção Universo Insólito, Monomito
Editorial), uma história cyberfunk sobre a ideia de caos futurista e o que é luta e esperança pra periferia, combinando investigação e ancestralidade/mitologia via Zuhri e Ayomide.

Escrevo sobre educação e literatura (pesquisa,artigos/ensaios), pesquiso as possibilidades da ficção especulativa negra na América Latina, participo de eventos, debates, consultoria e busco a mudança através de ações em escolas levando essa nova literatura, periférica que fala com o que conhecem através de alguns contos disponíveis gratuitamente para ações educativas de professores.

Site: https://brasil2408.com.br